“Liberdade e Cidadania no cinema de A-P Vasconcelos”

Aconteceu magia na manhã de dia 20/03, nos Cinemas de Portimão. Integrado no ciclo de cinema intitulado “Liberdade e Cidadania no cinema de A-P Vasconcelos”, organizado pelo projeto sala de cinema, cerca de 200 alunos do AEMTG puderam assistir ao filme “Parque Mayer”, a que se seguiu uma conversa com o próprio realizador, António-Pedro de Vasconcelos, que acabou de ser premiado com o Prémio Sophia de Melhor Realizador, atribuído pela Academia Portuguesa de Cinema.

 

Foram momentos tão extraordinários que as alunas e os alunos, sabendo da curiosidade do realizador em saber os “ecos” deste encontro, quiseram fazer-lhe chegar por escrito as suas emoções e o seu agradecimento.

 

Este texto em forma de carta foi construído com frases de alunas, alunos, professoras e professores do AEMTG que participaram nesta memorável experiência.

Carta a António-Pedro de Vasconcelos

 

“Olá Sr. António,

Com o seu filme ri, chorei, cresci e aprendi. Ao ver o seu filme senti cada palavra na minha pele como outrora outros viveram esses tempos.

Quero agradecer-lhe por com este filme me fazer valorizar a nossa liberdade e passar-nos essa mensagem tão bonita.

Gostei muito do filme porque mostra um lado negro da nossa História. Mistura o que verdadeiramente acontecia naquela época, a falta de liberdade. O cinema é capaz de nos fazer ver a História com outros olhos. A sessão de cinema e a sua palestra, para além de complementar a matéria dada na aula de História, deu-me uma visão da realidade vivida nessa altura.

O filme agarrou muitíssimo bem várias questões relacionados com o Estado Novo e acaba por ser também de uma enorme atualidade na questão da violência doméstica e, até, e infelizmente, da homofobia. Aliás, as reações mais efusivas dos alunos aconteceram nesses momentos do filme.

Hoje na aula os comentários foram:

Stora, adorei, adorei mesmo o filme!”

“O senhor realizador explicou tão bem o que era viver naquela altura!”

Stora, agora já consigo perceber melhor o que nos explicou nas aulas!”

 

Diz-se que o cinema é magia. Pois bem, para além da magia do seu extraordinário filme, aconteceu também outra coisa mais rara ainda: a ligação emocionante entre os alunos, o seu filme e o António-Pedro.

O que aconteceu naquela manhã foi absolutamente único e mágico!

 

Obrigada, muito obrigada, António Pedro Vasconcelos!

Parabéns e obrigado mais uma vez, em nome de todo(a)s nós!

 

Um forte abraço!”

Alunas, alunos, professoras e professores da ESMT

By : Faustino Santos /Março 26, 2019 /Uncategorized /Comentários fechados em “Liberdade e Cidadania no cinema de A-P Vasconcelos”